DELEGACIA DE CONFLITOS AGRÁRIOS PRENDE SUSPEITOS DE CRIMES AMBIENTAIS NO CHAPADÃO, EM SANTARÉM

(Foto: Divulgação)

Dois homens foram presos na região do Chapadão na manhã desta sexta-feira (13) durante a operação “Em Campo”, deflagrada pela Polícia Civil em parceria com a 1ª Companhia Independente de Polícia Ambiental (1ª CIPAmb). Os homens foram conduzidos à Delegacia de Conflitos Agrários, em Santarém, oeste do Pará, suspeitos de crimes ambientais.

Segundo o delegado Gilvan Almeida, que preside a delegacia especializada em conflitos agrários no município, os suspeitos foram presos em uma área protegida por lei, praticando desmatamento e utilizando motosserras sem a devida autorização.

Ainda de acordo com o delegado, essa prática ilegal de desmatamento e, principalmente, de queimadas são crimes recorrentes nesse período do ano na região, e alerta que quem for flagrado praticando esses crimes está sujeito à prisão.

“É um crime punido com reclusão, assim como o desmatamento. As pessoas que estão nessas áreas devem buscar informações junto à Secretaria do Meio Ambiente sobre os requisitos necessários para realizar queimadas de forma consciente, dentro da lei, a fim de evitar responder por crimes ambientais”, ressaltou Gilvan Almeida

.

Conforme informações do delegado, a área do Chapadão tem registrado nos últimos meses um alarmante número de desmatamentos e incêndios que causaram a destruição de hectares de florestas nativas e áreas protegidas por lei.

“Esses crimes, principalmente o de incêndio, têm sido muito recorrentes nesta época na região”, informou.

O delegado informou ainda que as fiscalizações e operações contra crimes ambientais na região do Chapadão devem se intensificar, com o objetivo de frear o desmatamento ilegal e as queimadas, e faz um alerta para quem for flagrado desmatando ou queimando áreas de mata.

“Fica o alerta para a população buscar informações e não realizar queimadas sem autorização legal, bem como o uso de motosserras sem autorização. Uma vez que as fiscalizações estejam nos locais, aplicaremos a lei rigorosamente, assim como também serão aplicadas as sanções administrativas previstas em nossa legislação”, alertou.

G1/Santarem/Berokanfm